[ editar artigo]

O que a revisão científica diz sobre o  consumo de frutas e vegetais e a síndrome metabólica?

O que a revisão científica diz sobre o  consumo de frutas e vegetais e a síndrome metabólica?

 

O consumo de frutas e vegetais está comumente associado a uma alimentação mais saudável e preventiva a diversas patologias, entre elas o desenvolvimento da síndrome metabólica.

Para entender um pouco mais a respeito do assunto, trazemos hoje uma revisão sobre a relação do consumo de frutas e vegetais com a síndrome metabólica, que foi publicada no British Journal of Nutrition.

 

Fruit and vegetable consumption and the metabolic syndrome: a systematic review and dose-response meta-analysis.

 

Uma revisão sistemática e meta-análise dose-resposta de estudos observacionais, dos tipos transversal, caso–controle e de coorte, obtidos nas bases de dados PubMed, MEDLINE e Embase.

Utilizando strings de busca, foram encontrados 2.421 artigos. E após aplicados os critérios de inclusão e exclusão, chegou-se a 9 artigos: sete transversais e dois de coorte. 

 

Como se relaciona o consumo de frutas e vegetais e a síndrome metabólica?

 

O que foi encontrado a respeito do consumo de frutas

Realizadas as devidas análises, verificou-se no artigo que há uma relação inversa e linear entre o consumo de frutas e a chance do indivíduo desenvolver síndrome metabólica.

A análise de dose-resposta foi relacionada a um risco 3% menor de síndrome metabólica, após aumento de 100 gramas por dia de frutas no consumo alimentar.

O artigo discorre que as explicações para esses acontecimentos caem no fato das frutas serem alimentos com uma alta densidade de micronutrientesfitoquímicos, que, por sua vez, atuam modulando o estresse oxidativo, diminuindo a ação de citocinas e moléculas como proteína C reativa e atuando na homeostase dos processos metabólicos

 

O consumo de vegetais apresentou resultado diferente em relação à síndrome metabólica?

No estudo em questão, a relação inversa e linear com a chance de desenvolver a síndrome metabólica não foi observada mediante consumo de vegetais.

Tal fato foi atribuído pelos autores como possível resultado da variância dos vegetais utilizados nos estudos.

Além de que, comumente os vegetais são ingeridos após passarem por métodos de cozimento, diferente das frutas, o que pode alterar as suas características nutricionais e bioativas.

 

Mas não pense que os vegetais saíram por baixo nessa história!

 

Os pesquisadores verificaram que legumes como rabanete, couve e abóbora apresentaram associação inversa ao risco de câncer, e que os vegetais verdes não foram associados à síndrome metabólica.  

 

Outros fatores que influenciam o risco de desenvolver a síndrome metabólica 

Outros pontos interessantes do artigo é que quando foram levados em consideração atividade física diminuída e presença de tabagismo, a ação protetora das frutas na síndrome metabólica foi diminuída. 

 

E como proposições futuras para a melhora das análises e representatividade dos resultados, os autores sugerem que próximas pesquisas sejam feitas com estudos de coorte e ensaios clínicos randomizados.

Assim como, estudos sejam feitos de forma separada com cada tipo de vegetal. Ou seja: somente com frutas cítricas, somente com frutas não cítricas, com vegetais verdes, folhosos, crucíferos e assim em diante. 

 

O que podemos concluir sobre a prescrição do consumo de frutas e vegetais X a síndrome metabólica?

 

O bom senso, o raciocínio clínico e todo o contexto científico deve ser levado em conta na hora de uma prescrição.

Mesmo que nessa revisão sistemática haja indicação que as frutas apresentaram melhores resultados na redução das chances de desenvolver a síndrome metabólica, comparado ao consumo de vegetais, o consumo de ambos deve ser estimulado.


Desta forma, como prevenção à síndrome metabólica, é prudente manter o incentivo a um maior consumo de frutas e de vegetais, assim como incentivo aos pacientes a terem um estilo de vida mais saudável, praticando exercício físico e diminuindo ou cessando o tabagismo.

 

Fonte: 

LEE, Mijin; LIM, Miso; KIM, Jihye. Fruit and vegetable consumption and the metabolic syndrome: a systematic review and dose-response meta-analysis. British Journal Of Nutrition, [S.L.], v. 122, n. 07, p. 723-733, 13 set. 2019. Cambridge University Press (CUP). http://dx.doi.org/10.1017/s000711451900165x. Disponível em: https://www.cambridge.org/core/journals/british-journal-of-nutrition/article/fruit-and-vegetable-consumption-and-the-metabolic-syndrome-a-systematic-review-and-doseresponse-metaanalysis/4B60CAADCFFDF291DBF756F18798CE31. Acesso em: 27 ago. 2021. 

 

DCNT

Academia da Nutrição
Academia da Nutrição
Academia da Nutrição Seguir

Queremos DESCOMPLICAR a ciência da nutrição. Dar voz aos profissionais de saúde e abrir diálogo com todos envolvidos, incluindo marcas e produtos. Plataforma exclusiva para nutricionistas e estudantes da área. É DE GRAÇA E SEMPRE VAI SER.

Ler conteúdo completo
Indicados para você