[ editar artigo]

As vertentes dos alimentos transgênicos

As vertentes dos alimentos transgênicos

 Nutri, quando o paciente te pergunta sobre transgênicos, você se sente desconfortável por não conhecer muito sobre o tema? 

Assim como muitos mistérios da nutrição, o uso dos transgênicos também não tem uma resposta definitiva. Por isso, preparamos um conteúdo para você com tudo que a ciência diz até hoje sobre esse assunto e um RESUMO do que você precisa saber! Chega de se sentir despreparada, vamos nos antecipar e mostrar conhecimento para nossos queridos pacientes.

 O QUE É UM TRANSGÊNICO?

TRANSGENIA: “Organismos transformados da sua condição natural, por meio de uma manipulação onde são incluídas informações no DNA, que provém de outros seres, com os quais não teriam possibilidades naturais de cruzamento.” 


 

MELHORAMENTO GENÉTICO É O MESMO QUE TRANSGENIA?

Nome similar, mas cuidado, os dois termos não são a mesma coisa!

 

  • Melhoramento genético é a técnica usada pelos agricultores, há vários séculos, de selecionar plantas e animais resistentes a doenças, tolerantes a diferentes condições ambientais, mais nutritivos e produtivos, e com características de interesse comercial. Quando há a seleção para forçar o predomínio de características de interesse econômico, como produtividade, rusticidade, cor e sabor, está se fazendo o melhoramento genético.

 

  • Modificação genética seria a transgenia que vimos acima. Na modificação, há a inserção de genes de outro ser vivo, o código genético é alterado e as implicações bioquímicas no corpo humano são imprevisíveis. 

 

Afinal, a BIOTECNOLOGIA é sinônimo de transgênico?

Biotecnologia é a tecnologia desenvolvida a partir de conhecimentos de uma ou de várias áreas da biologia, geralmente com finalidade produtiva. 

 

Há algum tempo, ela está se tornando erradamente sinônimo de modificação genética em plantas alimentícias, mas na realidade, ela não se restringe apenas a modificações genéticas.

 

A biotecnologia envolve técnicas como o teste de paternidade, a cultura de tecidos vegetais, a clonagem, a transgenia, entre outras. 

 

Organismos Geneticamente Modificados (OGM) ou em inglês (GMO)… Quais são os prós e contras? 

Com a aplicação da técnica de transgenia, surgem os OGMs. Sabemos que as plantas geneticamente modificadas são consideradas um avanço da ciência. 

 

argumento favorável ao uso dos transgênicos está relacionado ao barateamento do custo de produção, e um menor uso de fertilizantes e agrotóxicos, facilitando na produção agrícola, e  consequentemente, o alimento sai por um custo menor, e isto poderia ajudar no combate a insegurança alimentar do mundo.

 

  • “é uma tecnologia segura, benéfica, que tem o potencial de trazer grandes ganhos para a agricultura”.
  • “Não foi encontrada nenhuma evidência conclusiva na relação causa-efeito entre culturas GM e problemas ambientais”
  • Não há evidências de que os transgênicos provoquem obesidade, diabetes, autismo.

Os argumentos desfavoráveis ao uso dos transgênicos são justamente a falta de respostas claras sobre o impacto na saúde humana, animal e ambiental. A ausência de estudos que observem os efeitos a longo prazo do uso faz com que muitos órgãos sejam desfavoráveis à transgenia para o consumo humano e animal. 

 

Além disso, muitos estudos sobre a transgenia são realizados pelas próprias empresas,o que pode ter um conflito de interesses, os métodos utilizados também podem ser questionados por não conseguirem garantir a detecção de de alergias a novas proteínas (em um OGM).

 

Portanto, os argumentos desfavoráveis do uso de transgênico na saúde humana se implicam a possíveis alergias que possam ser causadas por esses alimentos, além da produção de compostos tóxicos pelo corpo. Mas, até os dias atuais, não se tem provas suficientes para mostrar que os OGM fazem bem ou mal. 

 

POSICIONAMENTO CFN 

Portanto, o CFN se posiciona a partir do princípio da precaução: se precaver devido à ausência de certeza científica e a existência de possíveis riscos.

 

O CFN ainda defende que a legislação seja cumprida e que haja rigorosa fiscalização da rotulagem de produtos e alimentos transgênicos.

 

Quem é responsável por essa fiscalização?

A Lei de Biossegurança (2005) permite que um organismo transgênico seja liberado na natureza sem que os estudos de impacto no meio ambiente sejam realizados.  A liberação, controle e fiscalização foram atribuídos por essa lei a:

 

CTNBio: A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia, é formada por 27 cientistas. Eles têm o poder de autorizar ou negar a pesquisa, plantio e comercialização de organismos transgênicos. 

CNBS: O Conselho Nacional de Biossegurança é composto por 10 ministros de Estado e o Secretário Especial de Pesca e Aquicultura da Presidência da República. Eles tomam as últimas decisões sobre à liberação para uso comercial de transgênicos da CTNBio.

 

ANVISA: é responsável por fiscalizar a produção e a comercialização dos alimentos brasileiros, além de normatizar a rotulagem dos mesmos. Entretanto, estudos recentes apontam que muitos produtos não cumprem a lei de rotulagem de alimentos derivados de OMG. 

Atualidades em Nutrição

Academia da Nutrição
Academia da Nutrição
Academia da Nutrição Seguir

Queremos DESCOMPLICAR a ciência da nutrição. Dar voz aos profissionais de saúde e abrir diálogo com todos envolvidos, incluindo marcas e produtos. Plataforma exclusiva para nutricionistas e estudantes da área. É DE GRAÇA E SEMPRE VAI SER.

Ler conteúdo completo
Indicados para você